Advogado de Silval nega delação e afirma que acusações da JBS são falsas

Publicado em 23 de maio de 2017      

A defesa do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) afirma que as acusações feitas pelo diretor da empresa JBS, Wesley Batista, são falsas. O diretor da rede de frigoríficos, durante seu depoimento ao Ministério Público Federal, afirma que Silval o procurou para pedir doação para campanha e que, posteriormente, cobrou propina em troca da concessão de incentivos fiscais.

O escritório do advogado criminalista, Délio Lins, de Brasília assumiu a defesa do ex-governador, após os juristas Valber Melo, Ulisses Rabaneda e Arthur Osti renunciarem ao caso.

O defensor diz que já se inteirou do caso e que seu cliente nega as acusações e prestará os esclarecimentos necessários quando for convocado para tanto.

Silval será ouvido no dia 5 de julho, no âmbito da Operação Sodoma, no qual é investigado por supostamente liderar uma quadrilha que cobrava propina de empresários em troca de fraudar licitações em contratos com o Estado e concessão de incentivos fiscais. Também é acusado de superfaturar valor de desapropriação para que recebesse R$ 15 milhões do valor pago.

O jurista ressalta ainda que, apesar dos rumores, não há negociações para que o ex-governador estabeleça acordo de delação premiada junto ao Ministério Público Estadual (MPE).

Questionado sobre a possibilidade de Silval devolver espontaneamente os supostos valores desviados, o jurista afirma que “Não existe qualquer condenação nesse sentido”. Frisa ainda que a estratégia de defesa será exposta no momento oportuno.

Porém, há um mês, Silval emitiu uma carta à imprensa e revelou que irá adotar a postura de assumir seus crimes, mas que não irá incriminar ninguém.

Silval Barbosa está preso no Centro de Custódia da Capital (CCC) desde setembro de 2015, em decorrência da Operação Sodoma. Ele conseguiu revogar a prisão preventiva das duas primeiras fases da Operação, mas permanece recolhido por conta das outras fases. O ex-secretário Marcel de Cursi também está preso pelo mesmo período.

Com informações do site Hiper Notícias

Deixe seu comentário